Sobre este blog

Este blog publica exclusivamente conteúdo original da minha autoria (ver à direita) e serve o único propósito de garantir a minha imortalidade:

Google caches WebPages regularly and stores them on its massive servers. In fact, by uploading your thoughts and opinions to the internet, you will forever live on in Google's cache, even after you die, in a sort of "Google Afterlife".
- In Is Google God?

segunda-feira, 26 de novembro de 2007

O Papalagui

Este é para mim um livro velho, daqueles que li na pré-adolescência e reli uns poucos anos depois. Por ocasião de me ter lembrado dele para o emprestar a um amigo reli-o hoje ao serão (é um livro curto) e é sem dúvida literatura recomendada.

Este livro é a compilação de um conjunto de textos escritos pelo chefe de uma tribo indígena das ilhas da polinésia, que os escreveu após uma extensa visita que fez à Europa, o mundo "civilizado".

Neles, ele tenta descrever ao seu povo o incompreensível modo de vida do "homem branco" - o Papalagui.

A sua visão da nossa sociedade é muito peculiar por ser uma visão totalmente "de fora". E é impressionante como nós parecemos quando somos vistos de fora...

Hoje estou com vontade de me por todo nu e ir viver para o meio do mato.

3 Comments:

Hugo said...

Também eu foda-se.

dos ∫antos said...

Sonat, não sei se vais ver este comentário, mas a origem do Papalagui é duvidosa e não se confirmou a autenticidade do texto. Pensa-se que possa simplesmente ser uma obra de ficção (provavelmente com o objectivo de reafirmar o mito romântico do bom selvagem) da autoria do tipo que reclama ter traduzido os discursos do chefe da tribo (cuja existência também nunca parece ter sido confirmada) para alemão.

O termo "papalagui" para designar os caucasianos parece ser real, no entanto.

Sonat said...

Não conhecia tal controvérsia, mas a ser verdade não acho que o texto perca valor. Na verdade faz-me ganhar respeito pelo autor.